Zurique

Europa – Índice Suíça

Organizei todos os posts sobre a Suíça aqui, pra facilitar a consulta. Confira:

Europa – dia 12 – Lausanne

Europa – Índice Itália

Florença
Florença

Organizei todos os posts sobre as cidades que conheci na Itália aqui, pra facilitar a consulta. Confira:

Europa – dia 02 – Reveillon em Milão

Europa – dia 03 – Milão day after

Europa – dia 05 – Último dia, e última ceia, em Milão

Europa – dia 06 – Ida para Florença

Europa – dia 07 – Pelas ruas de Florença

Europa – dia 08 – Bate-volta a Pisa

Europa – dia 09 – Arrivederci Firenze, ciao Venezia

Europa – Piazza della Signoria – Fotogaleria

Europa – dia 10 – Veneza!

Europa – dia 11 – Bate-volta a Murano

Europa – Índice Londres



Seguindo a mesma linha do índice França e do índice Alemanha, organizei os posts sobre Londres pra facilitar a consulta.

Europa – dia 14 (Londres) parte 1 – London Eye e Big Ben
Europa – dia 14 (Londres) parte 2 – St. James Park e Palácio de Buckingham
Europa – dia 14 (Londres) parte 3 – Piccadilly Circus e Harry Potter
Europa – dia 14 (Londres) – Galeria Aquário
Europa – dia 16 (Mind the gap, please) – Ice Rink, Tower Bridge e Madame Tussauds

Europa – dia 17 (o fim e a volta) – O fim e a volta

Europa – Índice Alemanha

Füssen

Seguindo a mesma linha do índice França, organizei os posts sobre os lugares que conheci na Aleamanha, pra facilitar a consulta.

Europa – dia 09 (Rothenburg ob der Tauber) – Rothenburg ob der Tauber
Europa – dia 10 (Rota Romântica) – cidadezinhas na rota romântica e Castelo de Neuschwanstein
Europa – dia 11 (Em busca da neve) – Füssen, arredores e neve!
Europa – dia 11/12 (Füssen) – último dia em Füssen
Aguardem o índice Londres!

Europa – dia 09 (Rothenburg ob der Tauber)

Nosso hotelzinho em Heidelberg, além de ser do lado da estação de trens, ficava a cerca de 1km de distância da locadora onde tinha reservado o carro pra seguir viagem, como meticulosamente planejado. O que não estava nos meus planos era a locadora (Sixt, que apesar disso, recomendo) simplesmente não ter o modelo que escolhi.

Planejei muitas coisas nessa viagem pensando em lua de mel e em agradar de verdade minha esposa, mas alugar um carro esportivo pra dirigir nas autobahns do sul da Alemanha era uma extravagância pessoal, era o meu momento, e eu já tinha até uma certa ligação afetiva com o BMW Z4 Roadster que deveria estar esperando por mim no pátio da locadora. Talvez por isso eu mereça ser perdoado por “reclamar” do BMW 3 series que me entregaram no lugar dele. Talvez eu deva até agradecer por ter acontecido isso, ao invés de ter a decepção de ver as nossas malas não caberem no Z4 e ter que trocar de qualquer forma.

Deixei a marra de lado e pedi pra um funcionário me ensinar a usar o carro, já que o meu Golzinho não dá a partida usando um botão, não tem câmbio automático e nem milhares de controles eletrônicos para todas as regulagens possíveis, desde posição dos retrovisores até altura, distância e temperatura (!) dos assentos, além de GPS integrado ao computador de bordo da “criança”, fundamental, sobretudo na gringolândia.

pé na estrada!

Felizmente o GPS é simples de usar e entender (em inglês) e conseguiu nos guiar tranquilamente ao nosso próximo destino: Rothenburg ob der Tauber, uma cidadezinha murada que preserva seu estilo medieval até hoje. Ficamos no Hotel Spitzweg, comandado por um casal de velhinhos num sobrado construído em 1536, e na minha opinião foi um dos lugares mais especiais em que já nos hospedamos.

da janela do quarto 

cidade bem antiga lá fora, carros bem novos no quintal

e não é que o primeiro esportivo que vimos era americano?

Como ficamos no segundo andar, sem elevador, e ficaríamos apenas um dia na cidade, resolvemos subir apenas com as mochilas e deixamos as malas no carro mesmo, que ficou no estacionamento/quintal do hotel (sim, lembrei de reservar hotéis com estacionamento).

Já passava das duas da tarde, então fomos atrás de comida pra depois dar uma volta pela cidade (tudo se resolve à pé em Rothenburg o.d.T), mas o tempo passou a colaborar cada vez menos. Chuvinha chata e mais frio, e a gente acabou andando menos do que pretendia, mas a Tati adorou passar a chuva as lojas de artigos natalinos.

Circulamos mais um pouco, do jeito que deu, e procuramos mais um lugar quentinho pra comer e provar cerveja. Ainda tentamos mais uma saída à noite, pra ver como ficava a cidade, mas ainda chovia, fazia ainda mais frio e a cidade estava completamente escura e deserta! Não que eu tenha medo… mas não demoramos a voltar pro hotel 🙂

Rothenburg ob der Tauber à noite

Rothenburg ob der Tauber à noite – olha, duas pessoas!

Na manhã seguinte um café da manha especial, preparado e servido pelos próprios donos, nos aguardava (incluído na diária). Me arrependi de não ter tirado fotos do café e do hotel, porque valia o registro, mas fica a memória. Fizemos nosso check-out e metemos o pé na estrada de novo, pra enfim conhecer a Rota Romântica, da qual Rothenburg o.d.T faz parte. Mas isso eu conto em outro post…
Até!