Airbnb

Minha experiência com o Airbnb

Airbnb

Cultivo há alguns anos a vontade de alugar um apartamento em uma cidade, provavelmente da Europa, por pelo menos um mês, combinado com algum tipo de curso e, assim, ter uma espécie de experiência de morador. Enquanto esse dia não chega, vou tendo mini-experiências de morador alugando apartamentos por pequenos períodos, quando possível e/ou conveniente, claro.

Uma dessas situações aparece mais claramente quando você está em um grupo de 4 ou mais pessoas. É difícil e pouco conveniente alugar um quarto quádruplo, e geralmente é bem mais barato alugar um apartamento do que alugar 2 quartos de hotel. A última Eurotrip foi a oportunidade ideal de testar o aclamado serviço do Airbnb, e aluguei apartamentos em Paris, Madri e Roma, com absoluto sucesso.

Como Funciona?

Não quero fazer exatamente um tutorial de Airbnb. No site deles tem todas as informações de maneira simples e ao mesmo tempo detalhada. As dicas que eu posso dar são:

  • faça seu cadastro hoje, possivelmente logando com sua conta do Facebook (o que já preenche uma parte do seu perfil), e não no dia que pretende reservar um apartamento. Apesar de cada vez mais dominado por locadores profissionais, o Airbnb adota um formato de rede social, e qualquer host (é como são chamados os locadores) pode escolher se aceita ou não você como guest (é como nós, locatários, somos chamados), portanto, convém ter um perfil preenchido e minimamente confiável.
  • se ainda não tiver, abra uma conta no Paypal, o sistema de pagamentos mais usado no mundo, é seguro e vai servir pra pagar sua hospedagem em dólar (Airbnb ainda não aceita R$). Como o cadastro no Paypal envolve uma série de verificações, por segurança, não deixe isso também pra última hora.

E quando chegar lá?

Bom, normalmente as regras para check-in/check-out são definidas pelo proprietário, e a forma como isso acontece pode variar. As experiências que tive foram assim:

Paris:

O processo de check-in/check-out era todo “automático”. O proprietário me passou por e-mail o código para o portão do prédio. Ao entrar no prédio (sem portaria) eu encontraria num horário e local combinados um envelope com o meu nome e as demais chaves. Tudo funcionou como combinado, e o apartamento era excelente! Incrivelmente bem localizado, limpo, equipado e confortável. No check-out deixei as chaves no lugar combinado e fui embora, sem nunca ter conhecido o host pessoalmente, o que, sinceramente, achei positivo.

Madri:

Aqui o processo já foi mais complicado. O combinado era ir até a porta do prédio e ligar para o proprietário, que estaria bem próximo e viria me entregar as chaves. Às 10 da noite, eu acharia mais legal se ele tivesse me esperado na porta, e a nossa sorte era já ter um chip da Espanha (comprado em Barcelona) pra poder ligar pra ele, e ter apenas 2% de bateria no telefone foi uma “emoção a mais”. De resto, o apartamento também atendeu plenamente nossas expectativas, e custou menos que um quarto de hotel pra duas pessoas. No final deixamos as chaves dentro do apartamento saímos, seguindo as instruções passadas, sem também conhecer o proprietário, já que na chegada foi um funcionário dele quem nos entregou as chaves.

Roma:

Eu tinha uma preocupação adicional porque nossa chegada seria por volta de meia-noite e, apesar de já estar combinado com o host (é preciso ter comum acordo para check-in em horários não usuais), se algo desse errado a gente ia dormir na rua (ok, talvez não). Dessa vez, porém, o host (na verdade, o enteado “da” host) nos esperava no local, e o nosso check-in foi mais tranquilo. O apartamento era muito legal, o elevador uma atração à parte, e nossos anfitriões tiveram o cuidado de abastecer a geladeira com mantimentos suficientes pra nossa chegada e o café da manhã seguinte. Sensacional. O prédio era da família e toda a estada foi muito tranquila. As dúvidas e/ou pequenos problemas que tivemos resolvi enviando mensagens pela própria app do Airbnb, que eles respondiam prontamente! Foi o tipo de experiência positiva que você não consegue ter em um hotel.

Bônus: Rio de Janeiro

Ainda antes dessa experiência na Europa, passei um feriado no Rio e usei pela primeira vez o serviço, até pra testar para a futura eurotrip. É uma ótima cidade pra alugar apartamento, porque os hotéis em regiões interessantes são caríssimos e escassos. O host nos recebeu na porta do prédio no horário marcado e foi muito atencioso, dando todas as informações que precisávamos (e muitas outras que não, mas tudo bem). O apartamento era uma típica quitinete de Copacabana, mas bem equipada e a uma quadra da praia, numa localização impossível de cacifar um hotel.

Respondendo diretamente o que você quer saber de verdade:

É seguro? Vale a pena? Sim! O Airbnb intermedeia a parte financeira, e a necessidade de ser bem avaliado pelos guests faz os hosts terem o maior cuidado possível com a qualidade. Por isso mesmo eu evitaria apenas os imóveis que tivessem poucas ou nenhuma avaliação. Lembre-se também que você, como hóspede, também é avaliado, portanto, comporte-se. Quanto à localização, vale o mesmo que para hotéis, existem apartamentos bem e mal localizados, então pesquise quais os melhores bairros para se hospedar na cidade de destino.

obs: Se pretende alugar um apto em Nova York, leia isso primeiro.

Anúncios

11 comentários sobre “Minha experiência com o Airbnb

  1. Gisele disse:

    Olá estou indonpro rio de janeiro logo e queria testar o airbnd mas estou com duvidas sobre as taxas são muitas caras fora o aluguel quanto se gasta a mas com isso ? Qual foi o apê que ficou no rio de janeiro podia me da essas dicas? Bjoo

    • ronaldogiusti disse:

      Olá Gisele,
      já faz um tempo desde a última vez em que usei o Airbnb, mas uma desvantagem realmente são as taxas. Eles cobram de você e do proprietário (o valor você fica sabendo antes de fechar a transação, mas acredito que é de mais de 10%), e a gente ainda tem que pagar a conta em dólares ou euros, o que nos custará mais 6,38% de IOF e deixa o serviço menos atrativo para cidades no Brasil. Alguns proprietários cobram, ainda, uma taxa de limpeza, fixa por estada.

      Minha sugestão é: some tudo isso e, se compensar, vá fundo, porque o serviço é confiável (cheque as avaliações do proprietário, claro).

      O apartamento que fiquei no Rio foi: https://www.airbnb.com.br/rooms/166177

  2. gabriel disse:

    Ola, tudo bem?
    Vou ficar em Paris em julho pelo Airbnb e queria saber como funciona esse codigo que eles passam para acessar o predio?

    Obrigado

    • ronaldogiusti disse:

      Olá, Gabriel.
      Na verdade esse esquema do código foi específico para esse apartamento em que fiquei. Outros imóveis podem trabalhar de outras formas mais tradicionais.

      Funcionou assim: o prédio onde fica esse apartamento não tem portaria (como a maioria dos prédios em Paris), a porta de entrada é trancada/destrancada através da digitação de um código. Algumas semanas antes da data da hospedagem, o proprietário me enviou uma mensagem com esse código, e me passou as demais instruções pra pegar a chave do apartamento já dentro do prédio (não vou dar os detalhes por motivo de segurança/privacidade deles).

      Espero ter ajudado. Um abraço.

      • Gabriel disse:

        Obrigado Ronaldo,
        Já me ajudou bastante, pq no meu caso o proprietário me deixou um código também mas não entendi se é para digitar na entrada do prédio, pois por aqui normalmente a gente usa o inferfone para falar com alguém…
        Valeu!
        Gabriel

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s