Lucerna

Europa – dia 22 – Bate-volta a Lucerna

Mesmo sem Swiss Pass (expirado há dois dias) e contando os últimos francos pra terminar a viagem sem usar o cartão de crédito, decidimos fazer um derradeiro bate-volta, a Lucerna, encarando preço cheio nas passagens de trem e um frio… já enchendo o saco (acho que já usei todos os adjetivos que sei pra qualificar a friaca.


Lucerna é uma cidade muito bonita, e deve ser ainda mais se a gente puder ver as montanhas ao redor, o que praticamente não foi possível devido ao mau tempo. Começamos nosso pequeno roteiro, claro, saindo da (bonita) estação de trens e seguimos pela Haldenstrasse, margeando o Lago de Lucerna, vendo as construções elegantes, igrejas, as árvores desfolhadas e a neve acumulada por todos os lados. E no lago, patos, muitos patos (acho que eram patos :-)).

Antes de cansar, voltamos por uma rua paralela, dessa vez na direção da atração mais famosa da cidade, a Ponte da Capela, a ponte de madeira coberta mais antiga do mundo. Atravessar a ponte foi um alento pra quem já tava sofrendo um pouco com o vento gelado. De resto, nada além uma ou duas lojas de souvenirs e algumas pinturas no interior da ponte, mas também bons ângulos pra fotografar o centro histórico de Lucerna.

Ficamos ainda uns bons minutos “dentro” da ponte, até que o cansaço, provavelmente o acumulado de mais de 20 dias de viagem, nos fez decidir voltar pra “casa”, em Zurique. Ah, isso na primavera…

Ponte da Capela
Ponte da Capela

Almoçamos num Burger King dentro da estação de trens, enquanto acompanhávamos, nas TVs do estabelecimento, os momentos finais do dramático confronto entre Novak Djokivic e o suíço Stanislas Wawrinka (por quem obviamente todos estavam torcendo), pelas oitavas de final do Australian Open 2013. Desapontado com a derrota do suíço (na verdade, Tati não se importou muito :-)), terminamos nosso lanche/almoço e pegamos o trem de volta.

E esse foi o nosso sétimo (os outros foram: Lugano, Pisa, Montreux, Genebra, Berna e Zermatt!) e último bate-volta da viagem. Não havia energia (ou dinheiro) pra mais nada, e apenas gastamos vagarosamente nossos últimos momentos em Zurique no conforto quentinho do nosso quarto de hotel, comendo queijos, chocolates e afins e assistindo a um emocionante campeonato mundial de snooker na TV.

Tava na hora de voltar 🙂

Anúncios

4 comentários sobre “Europa – dia 22 – Bate-volta a Lucerna

  1. ana disse:

    Olá Ronaldo!
    Maravilha de relatos e fotos….Realmente a Suiça é linda, vale enfrentar aquela friaca toda!!! Que lugares lindos…parecem saídos de cenários de filmes (em verdade é ao contrário)….
    Cheguei ao seu blog através de uma postagem “viagens no inverno” no VnV…..
    Parabéns!
    Ana Mota

  2. Unknown disse:

    Cara, primeiramente: Teu BLOG é SHOW ! Parabéns.

    Impressionante a casualidade com a viagem que estou planejando …. sem querer, é quase igual a sua, já estou anotando suas dicas !!! Parabéns pelas fotos também !!! Acho que vou ter o mesmo problema do SWISS PASS também, pois fico 5 dias e na verdade vou comprar o de 4 dias… como minha Base vai ser INTERLAKEN, chegando de VENEZA em ZURICH (23JAN) e partindo de ZURICH ao Brasil (28JAN), vou decidir qual dia que sai mais em conta pagar separado !!! Se começo logo a usar ou deixo pro dia seguinte (24)…. Se puder me dar uma dica , aceito ! Abs ubirajara.

  3. Ronaldo Giusti disse:

    Ubirajara, obrigado pela visita e pelo elogio!
    Acho que você escolheu uma ótima base. Interlaken foi uma das cidades que mais gostei.

    Não sei que horas você chega em Zurich pra ir a Interlaken e nem que horas volta para o Brasil, mas tenha em mente o Swiss Pass dá direito, além de viagens ilimitadas de trem, acesso gratuito ao transporte público de todas as cidades que ele cobre, além de incluir passeios de barco, desconto em alguns meios de elevação (ao Jungfrau, por exemplo) e entradas (ou descontos) em museus. Agora um detalhe que pode fazer a diferença: na época que eu fui os hotéis de Interlaken devam um cartãozinho de acesso gratuito ao transporte público da cidade, assim como Lausanne, mas em Zurich não havia esse benefício! Então, se você resolver usar seu primeiro dia em Interlaken só dentro da cidade, pode nem precisar do passe nesse dia e resolver seu problema.

    Enfim, coloque na conta os preços das passagens avulsas de Zurich a Interlaken e das atrações que planeja visitar nos dias que estiver sem o passe. Veja também se não compensa comprar logo o Swiss Pass de 8 dias. Só pela comodidade de cobrir seu período todo pode até valer pagar um pouquinho mais por ele.

    Boa sorte na sua viagem.
    Um abraço!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s