Europa – dia 15 – De Lausanne a Interlaken

Domingo de manhã, aquela friaca habitual de Lausanne, acordamos um pouco mais tarde que nos dias anteriores, porque não tínhamos nenhum programa a não ser partir para a segunda base do nosso roteiro suíço: Interlaken. A vantagem de viajar de trem pela Suíça é que raramente é preciso reservar passagem. Sempre haverá trens circulando entre as principais cidades duas ou mais vezes a cada hora, então é só escolher o melhor horário pra você e seguir pra estação. Existe uma app muito boa pra isso (clique aqui ou aqui para baixar), que dá inclusive os horários “ponta-a-ponta”: do ponto de ônibus mais próximo de você até a estação de trens, de lá para o destino final, incluindo baldeações, e da estação no destino final de ônibus até o ponto mais próximo do seu hotel, tudo sincronizado e com pontualidade… suíça! É lindo.

Trem na Suíça
Trem na Suíça


A viagem entre Lausanne e Interlaken dura cerca de 2 horas, com baldeação em Berna. É preciso ficar esperto porque a estação é grande e você tem de 5 a 10 minutos pra achar a plataforma de onde sairá seu próximo trem. Depois que a gente pegou a prática da coisa, deu pra fazer conexão de apenas 2 minutos! Se perder o trem não tem problema, é só pegar o próximo se você tiver um Swiss Pass (confira condições específicas para bilhetes avulsos).

É muito interessante o contraste entre as duas regiões. Saímos dos vinhedos da parte francesa, que são bonitos mesmo no inverno, e gradativamente fomos apresentados às paisagens já brancas pela neve da parte alemã. Como as distâncias são curtas e os caminhos muito sinuosos, os trens não são rápidos (não como um trem-bala), e dá pra apreciar bastante a paisagem. A chegada em Interlaken é triunfal, com as embasbacantes montanhas nevadas emoldurando o belo lago Thun, num dia de sol.

Vinhedos Suíça Francesa
vinhedos na Suíça Francesa

Vinhedos Suíça Francesa
vinhedos na Suíça Francesa

neve na Suíça Alemã
neve na Suíça Alemã

neve na Suíça Alemã
neve na Suíça Alemã

Infelizmente, todo aquele zig-zag, e possivelmente as diferenças de altitude que encaramos, começaram a me causar náuseas durante os trajetos de trem, e isso diminuiu um bocado a quantidade de fotos que eu tirei 😦 (mas as imagens ficarão pra sempre na memória)

Ao chegar na pequena estação Interlaken West, descemos e fomos direto pegar o ônibus que nos levaria ao nosso hotel. Em Interlaken, como em muitas cidades suíças, esses ônibus são dos correios, não sei porque. Tirei a dúvida com o motorista pra saber se estávamos no sentido certo e entramos. Cinco minutos depois reconheci o nosso hotel pelas fotos do Google street view e descemos num ponto que fica bem em frente. Perfeito.

Interlaken West
estação Interlaken West

O hotel Tell, o mais barato da nossa viagem, se revelou uma grata surpresa. Econômico sim, mas muito aconchegante, apesar de praticamente não haver staff visível (pra mim, uma vantagem). Ele fica em cima de um pub irlandês, o The 3 Tells, e o checkin (rápido) é feito lá mesmo. Você recebe a chave do quarto e de uma porta lateral que dá acesso a eles sem passar pelo pub (é possível ir por dentro também). Aliás, estar em cima de um pub foi bom, porque a comida era ótima e relativamente barata! Realmente recomendo.

Enfim, deixamos nossas coisas no hotel e fomos dar uma volta rápida pela cidade, que é linda, toda perfeitinha e organizada. Nosso objetivo, além de ver a cidade, era conseguir agendar algum passeio nas montanhas ou mesmo agendar uma aula de ski, o que seria a nossa grande extravagância da viagem. A surpresa é que boa parte das lojas especializadas estava fechada, algumas com um aviso informando que elas abririam de novo apenas depois das 4 ou 5 da tarde. Isso faz sentido pra elas, já que seu público todo sai pras atividades nas montanhas pela manhã e só volta no final da tarde, então elas abrem apenas nesses horários estratégicos.

Ficamos circulando pela cidade até o final da tarde, e finalmente paramos na Outdoor Interlaken, a cerca de 100 metros do nosso hotel, que tinha váááárias opções de passeios e aulas, de ski e snowboard a bungee jump e parapente. Fechamos o pacote de meio dia de aulas de ski, com transporte até as pistas e aluguel das roupas e acessórios apropriados. Deixamos um rim como pagamento e voltamos pro hotel 🙂

Interlaken
Interlaken

Interlaken
Interlaken

Interlaken
Interlaken

Hotel Victoria-Jungfrau Interlaken
Hotel Victoria-Jungfrau, um pouco mais sofisticado que o nosso

Até aquele momento da viagem, nossa experiência com a neve tinha sido, de certa forma, frustrante. Exceto pelo breve momento em Lausanne, que acabou antes de a gente ter tempo de ir pra rua, tudo o que a gente conseguiu foi passar muito frio e só ver neve à distância, nas montanhas. Pra piorar, a recepcionista do hotel/pub em Interlaken nos jogou um balde de água fria, dizendo que não estava nevando e nem havia expectativa de nevar na cidade nos próximos dias, ao contrário do que a app do Weather Channel teimava em nos dizer.

Bom, no dia seguinte essa história começaria a mudar, porque a gente ia subir o morro a montanha, lá onde era certeza ter neve. Mas isso eu conto no próximo post.

Até.

Anúncios

4 comentários sobre “Europa – dia 15 – De Lausanne a Interlaken

  1. Anônimo disse:

    Estou acompanhando o seu blog faz tempo, pois vou fazer um roteiro parecido no fim deste mês (também no inverno).

    Pelo andar de suas postagens, é provável que não consiga ver o post de Interlaken antes de viajar.

    Pedir que você adiante o post talvez seja abuso, então eu pergunto:

    Alguma dica imperdível?

    Vc gostou dos serviços da Outdoor Interlaken?

    Abs

    Fabio

  2. Ronaldo Giusti disse:

    Fabio, obrigado pela visita.
    Eu gostaria muito de publicar o próximo post, sobre o 2º dia em Interlaken (ficamos 4), até segunda-feira, mas não sei se vai dar tempo.

    De qualquer forma, um resumão seria, partindo desse último post:
    Dia 2: pegamos nossos equipamentos alugados na Outdoor Interlaken (sim, gostei dos serviços!) e passamos o dia em Grindelwald (o pacote incluia transporte de ida e volta, equipamentos e aula de ski). Foi nossa primeira vez esquiando e foi ótimo.

    Interlaken é, na verdade, uma ótima base para o que eles chamam de Jungfrau Region: o maior complexo de inverno que você pode imaginar! Grindelwald é apenas uma das opções de vilarejos com pistas. Ski também é apenas uma das opções de esporte. Mas a própria Interlaken tem um “clima” muito legal, e vale explorar (a pé mesmo) o centrinho no entorno da estação.

    Não sei quanto tempo você pretende ficar e se pretende tentar coisas mais ou menos “radicais”, mas saiba que há todo tipo de opções. Dá uma olhada aqui: http://www.outdoor-interlaken.ch/en

    Dia 3: fizemos um bate-volta a Berna, que é muito bonita também, vale muito a pena conhecer.

    Dia 4: finalmente, no último dia (em Interlaken), em vez de subirmos ao Junfraujoch (o top of Europe, principal passeio da região) fomos para Zermatt, porque lá as condições climáticas estavam bem melhores que no Jungfrau. E também porque era meu sonho ver o Matterhorn 🙂

    Imperdível:
    – Conhecer pelo menos um pouco de Interlaken.
    – Subir a pelo menos um vilarejo alpino como Grindelwald. Se eu pudesse, passava uma semana lá só explorando a região (considere visitar Wengen e/ou Lauterbrunnen).
    – Ir até o topo: confira as condições meteorológicas e, se der, suba até o Jungfraujoch.

    Se puder, fala mais sobre seu roteiro!

    Um abraço!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s