Carta para George (Letter to George) – parte I

Cheguei nesse blog (http://theonlinephotographer.typepad.com/) através do twitter de alguém (desculpe, mas não lembro) e achei o post simplesmente fantástico. O autor permitiu que eu traduzisse para o português, desde que fizesse o copyright do texto e não republicasse o original em inglês.

Portanto, o texto abaixo tem todos os direitos reservados e sua reprodução sem permissão do autor é proibida! Lembro também que essa é uma tradução livre.
O texto original é esse. A seguir, a primeira parte do texto:

Carta para George

Prezado Mr. Jonhson,
Obrigado por sua resposta na tentativa de me ajudar na compra da minha Nikon. Entretanto, eu acho sua recomendação estapafurdia e extremamente estranha vindo de um “dito” expert. Em primeiro lugar, a D700 por $2.450 está muito além do meu orçamento, que eu disse que era de $400, e muita coisa para um fotógrafo que está apenas no início, e sua sugestão que eu compre uma objetiva 35mm f/2 e outra 85mm f/1.8 é estranha. Essas lentes nem mesmo tem zoom? Todos os meus amigos usam lentes zoom e isso é tudo o que minha loja local tem. Eu estou de certa forma mistificado por sua nota.

Sinceramente,
George

Prezado George,
Sim, você está absolutamente certo, e eu peço desculpas. Como muitos aficionados eu sou excessivamente afetado por minhas próprias preferências e hábitos, e isso me leva a dar conselhos de compra que são idiossincráticos mesmo. A sugestão de que você comece logo de cara com um investimento de $3.195 é mesmo estapafúrdia (palavra boa essa).

Eu gostaria de alterá-la sugerindo um roteiro de 25 passos objetivamente mais característico para você. Minha experiência nesse campo demonstrou muitas vezes que essa sequência é muito típica, e eu penso que você achará essas novas recomendações muito mais objetivamente um caminho percorrido pela maioria dos fotógrafos quando investem em seus equipamentos.

Eu me desculpo de novo – no que segue, eu usei modelos e números de produtos, embora o que eu esteja descrevendo seja normalmente um processo de 3 a 5 anos, e números, modelos e preços naturalmente mudarão nesse intervalo.

E digo que o processo como descrito contém 25 passos; mas você pode muito bem descobrir que existem mais.

Passo 1. Compre uma “digicam” ou  point-and-shoot , principalmente porque é isso que a maioria dos seres humanos faz primeiro quando lhes ocorre que querem uma câmera. Isso será precedido de aproximadamente quatro meses de uma problemática e frustrante pesquisa e compra, tempo no qual você aprenderá como comprar, mas não como fotografar. Também durante esse tempo, você estará limitado a tirar fotos com seu iPhone. Gradualmente você tem o sentimento de que ninguém pode lhe dar um conselho perfeitamente satisfatório  sobre a compra de uma point-and-shoot, pela simples razão de que há por baixo 13.796 delas no mercado (nota: somente uma estimativa), com muitas delas perto de serem descontinuadas e outras muitas entrando no mercado o tempo todo, fazendo com que a pesquisa pela melhor seja um alvo móvel mesmo que você pudesse saber quem é quem. Finalmente, perca a paciência e compre a que o cara do balcão da loja local recomendar, embora no fundo do seu quase-subconsciente você suspeite que o alto nível de confiança dele pode ser motivado pelo fato de que ele consegue uma margem de lucro maior nesse modelo do que na maioria dos outros, e seu chefe o está pressionando a empurrá-la adiante. Com impostos, passa apenas $30 do topo do seu orçamento de $400. Tarde demais, você lembrará de checar B&H Photo, que estará vendendo o mesmo modelo, apenas com um cartão de memória extra, por $236.

Passo 2. Fique perfeitamente feliz com sua nova compra… por cerca de 2 meses e meio. Depois disso, lentamente descubra sua enfurecedora lentidão no disparo, a lentidão alarmante de sua lente quando em zoom máximo, sua performance sofrível em ISO alto, e sua fragilidade de forma geral. Não obstante, use a tal digicam por mais 1,8 anos enquanto obstinadamente faz seu dinheiro gasto valer a pena, embora você realmente a odeie todo esse tempo. Ainda assim, ela está sempre com você, e você faz um monte de fotinhas, fotografia é divertido.

Passo 3. Depois de a digicam parar de funcionar completamente durante caras férias – simplesmente quando você mais precisou que funcionasse – compre uma câmera prêmium de lente fixa Canon G10 ($420).

Passo 4. Três semanas depois, É lançada a Canon G11. Compre a G11 ($470), venda a G10 com perda de $150.

Passo 5. Se dê conta de que a G10 na verdade tem mais megapixels que a G11; venda a G11 (perda de $120), compre outra G10.

Passo 6. Leia na internet sobre sensores pequenos vs sensores grandes, perceba que você não está realmente muito feliz com a point-and-shoot premium de qualquer forma, porque ainda é, na essencia, uma point-and-shoot e você meio que já está farto de point-and-shoots. Venda a segunda G10 com perda de $175 dessa vez e pule para o nível de uma DSLR de entrada de $800, comprada com a lente zoom do kit. De novo, aquela pequena voz que estava quase enterrada no seu subconsciente menciona rapidamente que é na lente zoom do kit que o fabricante está economizando dinheiro no preço do pacote, apesar do fato de que a lente é o que determina essencialmente a aparência das imagens. As imagens aparentam ser muito melhores que as feitas com a agora falecida p/s, embora, e você tem certeza – quase – que as fotos estão melhores que as tiradas com a G10/11, na maioria das vezes – então, quão ruim ela pode ser?

Passo 7. Alguns meses depois, seguindo a feliz congruência de um número de ocorrências, a saber, 1) receber uma grana extra inesperada; 2) o tio da sua esposa ridicularizar você por sua câmera barata num encontro familiar; 3) sua ainda mais aguda vergonha ao ter que levar sua câmera para um raro trabalho pago, durante o qual você tem certeza que viu seu cliente olhar desconfiadamente para ela; 4) Muitas horas a mais gastas em compras, e 5) sua leitura de cerca de 340 mil palavras na internet (das quais, aproximadamente 1/12 foram úteis) – compre uma Nikon D90. Venda a DSLR de entrada por 2/5 do que pagou por ela, mas mantenha a lente zoom para a D90. (A propósito, você ainda tem sua digicam. Ela não funciona, não é viável consertar, e vale quase nada no Ebay mesmo, mas por alguma razão estranha – ou, mais, apenas umas 400 razões estranhas – você não consegue arremessá-la no cesto de lixo). Ela repousa no armário agora. Nota: o armário do qual falo é um raramente mencionado, mas profundamente significante vetor muito próximo do coração da compra de material fotográfico.

Passo 8. Quase imediatamente após comprar a D90, comece a sonhar com uma D300s.

Passo 9. A lente do kit da DSLR de entrada parece um pouco fraca para a D90, e você se pergunta se está “tirando o máximo do sensor”. Sucumba a uma “dúvida metafísica” e insegurança, e compre uma magnífica lente zoom premium, rápida e faz-tudo. $630

Passo 10. Como a câmera é muito esquisita de carregar com sua nova lente zoom – que, a propósito, você ama – inadvertidamente você a deixa cair. Apenas uma vez. Ela sobrevive, mas o LCD está quebrado, e você não está 100% certo, mas acha que algumas configurações do menu eletrônico ficaram instáveis. Essas imperfeições lhe consomem, só um pouquinho, cada vez que você usa a câmera.

Passo 11. Compre um seguro para a câmera.

Pra não cansar (ok, pra EU não cansar de traduzir), vou dividir o texto em duas partes. Nos próximos dias (quando eu terminar essa longuíssima tradução) publico a segunda parte do texto. Até.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s